NAS UNHAS ESMALTE PRETO

EU CANTO PORQUE O INSTANTE EXISTE E A MINHA VIDA ESTÁ COMPLETA. NÃO SOU ALEGRE E NEM SOU TRISTE: SOU POETA.

CECÍLIA MEIRELES.

Escrevo com a velocidade dos sentimentos que se embaralham no meu peito. As vezes escrevo vários poemas num dia e noutros nem mesmo um. Tem dias que estou em paz, mas noutros a angustia me arrebenta por dentro. Nada me passa despercebido! Enquanto eu ainda tiver alguns dos meus sentidos, pego caneta e papel, tenho a ânsia de escrever. Nosalai é um pseudônimo que eu criei juntando dois codinomes que minha mãe costumava me chamar. Escrevo desde os 12 anos de idade, por isso, não coloco as datas em todos os meus poemas. Ah sim, eu só uso esmalte preto!

Sobre Mim

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Sou mutante. Adoro o negro e a cor do sangue! Não consigo usar sempre o mesmo perfume e nem mesmo o mesmo sabonete. Meu coração grita por liberdade. Vivo todos os sentimentos intensamente. Eu não conheço meio termo. Sou mística e exotérica. Posso ser gótica ou angelical.Tenho a sensibilidade a flor da pele e um sexto sentido de bruxa. Gosto das coisas boas! Estou sempre de bem com a vida. Adoro rir! Pessoas inteligentes me atraem. Impaciência faz parte de mim.
Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes… tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos. Você pode até me empurrar de um penhasco que eu vou dizer: - E daí? Eu adoro voar! Não me dêem fórmulas certas, por que eu não espero acertar sempre. Não me mostrem o que esperam de mim, por que vou seguir meu coração. Não me façam ser quem não sou. Não me convidem a ser igual, por que sinceramente sou diferente. Não sei amar pela metade. Não sei viver de mentira. Não sei voar de pés no chão. Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra sempre Clarice Lispector

domingo, 26 de abril de 2009

PERDIÇÃO


PERDIÇÃO

Passei dias de trovão
Quando segurei em tuas mãos
E fui levada ao teu céu
Céu revolto escurecido
Luzindo raios de tempestade
Onde arde a potência da paixão
Meu coração parou
Tomada fui pelo delírio

Meu desejo é animal
Eu de mim já não tenho mais controle
Ferormônio puro
Esvaindo de minhas entranhas
E me enlouquecendo
Ânsia de roçar a tua pele
Embolar-me com teu corpo
E rasgar a tua carne
Provar dela
Assim com loucura e com
Paixão desvairada e satânica

Vi nos teus olhos o aço do metal
Que será minha perdição
Fui a ti como menina
E perdida ficou a mulher.

Nosalai RJ Com muita paixão para quem me inspirou!

6 comentários:

maria rosa disse...

Desejos, perdição, cuanta pasión.........

Beijos

Bibs disse...

Belísima foto para um poema quente...

Sol Galvão disse...

wow ...
Come la nostra passione... la masterizzazione!
Come è questo amore?
Bacio anima mia sorella di

Sol Galvão disse...

Ti amo troppo
Já estou seguindo o Rico, nos comunicamos e ele com toda aquela gentileza já até deu uns retoques na foto do bolo de cenoura. Meu Deusinho Cristinho, pq uma coisa dessa mora longe e é casado?????...kkkkkkkkkkkkkk deixa o marido ver isso. (brincadeira)
Vou tentar fazer o que me disse na receita. Se não der certo te falo e vc põe essas mãozinhas fofinhas de fada.
Beijos maninha
Te amo muito

Simplesmente Mariza disse...

A música de ótima qualidade, me embala, no delírio de tua poesia.
Parabéns e parabéns.....

Older disse...

Paixão é teu nome,
perdição o teu destino.
Desejo é o teu caminho,
sofrer a tua sina.
Sofre corpo,
sofre alma,
mas não deixe de amar,
coração.
Beijos