NAS UNHAS ESMALTE PRETO

EU CANTO PORQUE O INSTANTE EXISTE E A MINHA VIDA ESTÁ COMPLETA. NÃO SOU ALEGRE E NEM SOU TRISTE: SOU POETA.

CECÍLIA MEIRELES.

Escrevo com a velocidade dos sentimentos que se embaralham no meu peito. As vezes escrevo vários poemas num dia e noutros nem mesmo um. Tem dias que estou em paz, mas noutros a angustia me arrebenta por dentro. Nada me passa despercebido! Enquanto eu ainda tiver alguns dos meus sentidos, pego caneta e papel, tenho a ânsia de escrever. Nosalai é um pseudônimo que eu criei juntando dois codinomes que minha mãe costumava me chamar. Escrevo desde os 12 anos de idade, por isso, não coloco as datas em todos os meus poemas. Ah sim, eu só uso esmalte preto!

Sobre Mim

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Sou mutante. Adoro o negro e a cor do sangue! Não consigo usar sempre o mesmo perfume e nem mesmo o mesmo sabonete. Meu coração grita por liberdade. Vivo todos os sentimentos intensamente. Eu não conheço meio termo. Sou mística e exotérica. Posso ser gótica ou angelical.Tenho a sensibilidade a flor da pele e um sexto sentido de bruxa. Gosto das coisas boas! Estou sempre de bem com a vida. Adoro rir! Pessoas inteligentes me atraem. Impaciência faz parte de mim.
Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes… tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos. Você pode até me empurrar de um penhasco que eu vou dizer: - E daí? Eu adoro voar! Não me dêem fórmulas certas, por que eu não espero acertar sempre. Não me mostrem o que esperam de mim, por que vou seguir meu coração. Não me façam ser quem não sou. Não me convidem a ser igual, por que sinceramente sou diferente. Não sei amar pela metade. Não sei viver de mentira. Não sei voar de pés no chão. Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra sempre Clarice Lispector

terça-feira, 21 de abril de 2009

POÉTICA PARTE III


Rebellis: Importo-me com a Poesia!
e Poesia, Milady, tens de sobra.

Nosalai: Eu escrevo em versos. É que para mim a poesia tem um som, eu não rimo eu afino.

Rebellis: rsrsrs também penso o mesmo!

Nosalai: É como uma música que toca na minha alma.
Ah mas conheces... Ismália?

Rebellis:
Sim! A suicida rsrsr

Nosalai: De Aphonsus de Guimarães hehe
Quando Ismália enlouqueceu
pôs-se na torre a sonhar...
Viu uma lua no céu
Viu outra lua no mar.
Parnasianismo hehehe

Rebellis: hehehehe

Nosalai: É osso metrificar rsrs

Rebellis: Eu tenho um poema inspirado nessa poesia rsrsrs
A Uma Suicida, acho que é o nome.

Nosalai: Mas é linda e perfeita!
E deve ter dado muito trabalho a composição.

Rebellis: O cara era inspirado - deve ter surgido num sonho para ele.

Nosalai: Caí no teu blog por acaso...
e quando bati os olhos em teus versos; voltei apaixonada rs

Rebellis: Sério? O acaso conspira rsrsrs

Nosalai:
Com certeza. E o universo também

Rebellis: São deuses de um mundo novo
guardiões da felicidade pouca.

Nosalai: Desejei ardentemente ser a tua musa.

Rebellis: Então serás!

Rebellis: Escreverei-te o verso mais belo do Paraíso.

Nosalai: Você se superou em cada poema que eu li.

Rebellis: Será um verso angelical e mundano.

Nosalai: É uma canção ao infinito.

Rebellis: O infinito no teu olhar!
Sabe, você me surpreende com cada linha
Há algo de divino e humano em ti
Algo de profano e santo
Algo errado e perfeito
Algo indefinível
Algo que um verso louco e apaixonado
Consegue explicar
Talvez o princípio da loucura
Seja parte de teu início
E que no teu fim eu possa encontrar a ternura
negada em meu instante de suplício

Nosalai: Me dá mão me seca o pranto
É tão cedo, para tanta dor!
Ainda iremos ao jardim dos sonhos
encontrar a paz que a vida nos negou
Nos teus lábios eu bebo da paixão que me confere à vida
Sem o sabor do beijo a mesma é inútil
Eu desejo com força sentir-te em meu seio
E sonho amar-te laboriosamente
De uma forma surreal e ao mesmo tempo clara,
Pois nada no universo se compara
A loucura do amor que nós fazemos

Rebellis:
(wow!)

Rebellis: Eu sonho me perder em teu calor
Deixar-me levar pelas chamas dessa paixão
Eu anseio juntar meu corpo nu ao teu
Num momento de loucura e abandono
Te afagarei a pele nua
Injetarei em tua boca meu veneno
Rasgarei teu coração com meus dentes
Te oferecerei meu sangue pleno
Mergulharei em teu corpo lânguido
Te farei gemer um hino de prazer
Serei teu vassalo, escravo e senhor
Serei o teu momento, o teu ser
No ápice do acorde da paixão
Me perderei em teus cabelos
Arrancarei de ti um gemido sem perdão
Te levarei aos céus mais altos
E de lá cairemos rumo ao chão
Nossa queda fatal
Nosso amor surreal

Nosalai: Lindo!

Nosalai: O meu amor incendiará florestas e montanhas
E por teu amor aceitaria a morte
Sem ele minha alma fica fria
Se eu morrer me cantarás uma elegia, pois
Nascestes para a glória e eu para tristeza
Incendiarei sim os vales e toda a natureza
Para ter o amor numa noite transfigurada!
Olha a que me incitas cavaleiro negro. Amor meu!

Rebellis: Uau!
Rebellis: Eita!!!

Nosalai:
Que delícia é isso pra mim!

Rebellis:
Quero te conhecer. Acho que você não existe hehehe

Rebellis: rsrsrs

Nosalai: No baby I am real and I'm here for you

Rebellis: So take my hand

Nosalai: yeah rsrs

Rebellis: hehehehe

Rebellis: Let me glimpse your soul
let me take your heart

Nosalai: A head

Rebellis: Let me be part of your dream

Nosalai: You are

Rebellis: like the wind storn
I want to ravage your skim

Nosalai: So cool

Rebellis: I want to look into your eyes

Nosalai: I do

Rebellis: I want to lost myself in your dream
I want to touch your naked skin

Nosalai: Than we will find together a way

Rebellis:
To feel the good and bad in you

Nosalai: My soul is also naked for you too

Rebellis: Let me see you once more
impart with me your fears

Nosalai: Show me the way

Rebellis: I share with you the heaven in me
I can't barely sense my mind
as I go through the path you have set up for me

Nosalai: I dont wanna loose you

Rebellis: Goddess or Mistress, you own my soul

Nosalai: And you are mine

Rebellis: rsrsrs

Nosalai: Beautifull

Rebellis: You rock baby!

Nosalai: rsrs

Rebellis: Legal!!
Você saber inglês é muito charmoso rsrsrs

Nosalai: You Turn me upside down rsrsrs

Rebellis: Thanks!

Rebellis: Você tem poemas que revelam um lado sombrio e misterioso rsrsrs
Vou descobrir o que encobres, Milady, sob as vestes de pureza rsrs

Nosalai:
rsrs será de repente rsrs

Rebellis: hahahahha

Rebellis: Sob o corpete à cabeleira ondeante
Um mistério no olhar esconde
Aquela que, sendo Musa Primeira
O humano coração incendeia
Eu seria a rosa e o sangue entre os teus seios
Em tua pele brotaria meus espinhos

Nosalai: Nossa!
Nosalai: Que entrada alta essa agora
achei linda a introdução.

Rebellis: rsrsrs

Como um sonho eu te vejo
Um sonho de alguém que delira
Imagens sobrepostas, obscenas
Santas e inóspitas
Um delírio de sangue e fel
Um corte na pele que não sara
Como uma miragem te vejo
Um oásis vazio no deserto
Uma promessa de aconchego
A certeza da morte certa

Nosalai:10!

Rebellis: Eu te busco em cada receio
Te encontro em cada pesadelo
Te beijo sem medo e com repulsa
És minha, minha dor
Te abraço em meus sonhos
Te desnudo em meu deserto
O teu calor na primavera
É o Sol que busco em meu inverno

Nosalai: Você atiça a louca insana que há dentro de mim.
Adorei

Nosalai: A poesia quando vem me arrebata eu tenho que ter sempre a mão papel e caneta.

Rebellis: Certa noite em nosso leito
Te beijarei sem pressa e sem prudência
Te amarei com suave desespero
Um gemido e um verso te darei
Em teu corpo escreverei o meu lamento
Conhecerás em mim o amor e a ciência
E quando o teu gemido cessar
E o teu ventre nu enfim não mais me desejar
Como um verdugo fugirei de teu recanto
E açoitarei as estrelas distantes
Em busca da paz e do encanto
Que existe nos teus olhos, no teu ser,

Nosalai:
Caramba começo tipo Àlvares de Azevedo o poeta maior

Nosalai: Divino esse

Rebellis: Quando a tua boca implora um prazer

Nosalai: 100! nota 1000 nota ... sem nota rsrs

Rebellis:
Ufa! Você me inspira uns versos estranhos, um lirismo sem amarras rsrsrs

Nosalai: Disso tinha de te falar também, a poesia me tira o freio me transforma numa loba, quando você escreve eu sinto que meu coração selvagem está te puxando é tenebroso

Rebellis: Wow!

Nosalai:
Não, eu não quero
Essa angústia para mim
Mas quero você flor do campo
Quero você ao amanhecer

Não, eu não quero
Que vás embora
Eu só quero a tua volta
Que brota em mim
A esperança no futuro

Não, eu não quero
Teus olhos tristes
Mas quero teu corpo todo
Quero você inteiro
Sempre enquanto eu viver.

Rebellis: Nossa!
Meus lábios em teu seio
- Loucura sádica e indolente! -
Teu gemido a me implorar
Uma obscenidade permanente
O teu silêncio partido ao meio

Nosalai: As coisas que vc escreve são muito tentadoras

Rebellis: (Vc é tentadora)

Nosalai: Eu nasci no século errado

Rebellis: rsrsrs no meu século nasceste
rsrs com certeza

Rebellis: O século da paisagem em sangue convertida
Os anos das paixões arrebatadoras, dos medos e segredos à meia-luz
O século que a dor tentou matar, mas que floresce nos corações
isso é o que eu busco viver rsrs

Rebellis: Como onda leve trazida pelo mar rsrsrs

Rebellis: se me permite um segredo

Nosalai: Até dois rsrs

Rebellis: rsrsrs para um poeta a inspiração é divinal
é um vinho, uma loucura, é selvagem!

Nosalai: Decifra-me espelho meu!
facetada sou mais bela

Rebellis: Sim, te decifrarei, minha musa
A luz de teus olhos descobrirei
A dança de teus passos acompanharei
Descobrirei o teu sussurro
O teu calor, o teu murmúrio
Descubrirei a tua fonte, o néctar de teu desejo
Serei pele de tua pele
Os teus mistérios louvarei

Nosalai: Caramba viajei aqui
pra mim não precisava terminar

Rebellis: Então continuarei num outro compasso rsrsrs

Nosalai: 0k

Rebellis: Chegarei em tua vida de repente
No meu olhar verás escrito um segredo
A minha expressão indefinível
Virei atrás de teu poente
Sem pressa confessarei-te os meus planos
Falarei daquilo que encanta
Falarei daquilo que repulsa
Então de certa forma te olharei diferente

Nosalai: Que loucura poeta estou apaixonada... demais!

Rebellis: Descobrirei no teu olhar uma luz diáfana
Um prenúncio do futuro
O silêncio reinará então
Quando meu beijo calar tuas dúvidas

Nosalai: Gelei

Rebellis: Quando gritar meu coração
Te envolverei com minhas palavras
Te abraçarei com minha rima
Sentirás o calor de cada promessa
Como se fora uma tempestade que se aproxima
"Vim dos céus para te conhecer"
direi enfim após uma pausa fatal

Nosalai: Sem comentários

Rebellis: "vim dos céus, do reino do prazer"
Então serás minha musa finalmente
Beberei o cálice de tua vida
Sugarei o desejo em teus lábios
Minhas mãos, minha mordida,
Hão de marcar-te a pele
Te desnudarei com violência
E qual deus de máxima insolência
Te levarei cativa à cama nua
Te beijarei, vencerei tua resistência
Serás minha musa por inteira
Mergulharei em teu corpo clemência
O teu gemido será a canção que inspirarei
Arfante te entregarás a mim teu sorriso

Nosalai: Você é o verso encarnado
que transforma os meus sonhos em pecado
e faz te desejar até a morte pois
sei vais pelas trevas impuras,
porque teus olhos ardentes brilham
e teus lábios frementes vertem fogo do teu coração.
Estou ardendo por ti foge-me a razão
Anseio amiúde pelo corpo teu

Rebellis:
Eu lhe entregarei a minha alma
Para saciar esse desejo
Serei parte de teu corpo
Serei a tua cor, a tua pele
Entre as tuas pernas, em teu seios
Arderei eternamente

Nosalai: Serás sangue do meu coração dois num só coração
e no amor há a fúria do trovão a embalar o nosso êxtase

Rebellis: Nossa dança será sublime
Nosso ritmo obsceno
Dois corpos lânguidos perdidos
No abismo do prazer supremo

Nosalai: Pois que a morte e a palidez me cubram a tez,
Mas se for sua outra vez morro em paz nessa vontade

Rebellis: À tua morte seguirá meu grito
E morrerei também em teus braços
Em tuas entranhas farei brotar
A semente de minha loucura

Nosalai: Nos teus lábios o meu alento desfalece
E seu morrer diz-me uma prece
Quero ouvir por último o teu gemido

Rebellis: Um gemido que se perderá em tua boca
Teus lábios serão minha sepultura
A teu corpo o jardim de meu silêncio

Nosalai: Que tua febre nunca descanse
E esse delírio te há de matar
E no mundo dos mortos seremos
Os amantes mais eternos

Rebellis:
Wow!

Nosalai: hehehe

Rebellis:
Foi perfeito!
foi como se de fato eu a tivesse em meus braços.

Nosalai:
É sério pensas ser eu uma ilusão?

Rebellis: Como se tua boca sobre minha segredasse algum prazer proibido
preciso te descobrir para ter certeza.

Nosalai: É eu sei como é somos nós dois trovadores a sonhar com a eternidade.

Rebellis: Náufragos nos braços um do outro,
Serpentes expulsas do paraíso.

Nosalai: Arremessados pela fúria da paixão.

Rebellis: Amor e lascívia, duas almas em combustão!
É como se minha mão pudesse transpor a distância
E tocar-te a pele quente
É como se meu beijo fosse um pássaro
A pousar em seio ardente
É como se eu pudesse sentir a tua nudez
A tua voz e o teu silente gemido
É como se o teu olhar fosse um céu de estrelas
A me guiar em direção ao desconhecido

Nosalai: Ah você vai me matar de paixão. Eu to até lesa não consigo mais ordenar as idéias estou embriagada.

Rebellis: rsrsrs Me too
você me deixa louco, baby!

Rebellis: Tive uma visão agora.

Rebellis: Eu te vejo agora

Nosalai: Tell me

Rebellis: Como se estivesses diante de mim, agora, nesse exato instante
Ambos estamos num lugar diferente
Um lugar estranho
Há um grande sofá e um piano
Estás sobre o sofá
E algum fantasma toca no piano uma melodia
A melodia da paixão
Eu me aproximo de ti a passos lentos
Quase não ousando quebrar a magia da música
Com o som dos meus passos
Você suspira de leve
Ondas de antecipação em teus seios
Eu me acerco de ti
Te olho do alto e depois abaixo me aos teus pés
Vestes um vestido branco tingido de sangue
Sem dizer uma palavras eu me ajoelho aos teus pés
Estou prestes a prestar-lhe meu louvor
Minhas mãos repousam em tua cintura
E descem lentamente pelos quadris
Pelas pernas

Rebellis: Seja doce, vaga ou lânguida, terás a poesia que quiseres.

Nosalai: Você é meu poeta, meu sonho, meu amor.

Rebellis: Minha musa, minha inspiração, minha mulher e minha perdição.

Nosalai: Tudo que o meu desejo precisava
Eu clamei por ti por todos esse anos e
Seu amor foi resguardado só pra mim

Rebellis: O acaso nos uniu, o destino nos pôs um diante de outro.

1ª edição parte 2 - Por Marcia
Marcia Regina de Negreiros

Um comentário:

Simplesmente Mariza disse...

Estou em estado de graça, não é suficiente ler repetidamente, é preciso guardar na mente, no coração, porque neste momento nada é mais bonito do que esta maravilha que acabo de ler, e sentir.....é sublime....