NAS UNHAS ESMALTE PRETO

EU CANTO PORQUE O INSTANTE EXISTE E A MINHA VIDA ESTÁ COMPLETA. NÃO SOU ALEGRE E NEM SOU TRISTE: SOU POETA.

CECÍLIA MEIRELES.

Escrevo com a velocidade dos sentimentos que se embaralham no meu peito. As vezes escrevo vários poemas num dia e noutros nem mesmo um. Tem dias que estou em paz, mas noutros a angustia me arrebenta por dentro. Nada me passa despercebido! Enquanto eu ainda tiver alguns dos meus sentidos, pego caneta e papel, tenho a ânsia de escrever. Nosalai é um pseudônimo que eu criei juntando dois codinomes que minha mãe costumava me chamar. Escrevo desde os 12 anos de idade, por isso, não coloco as datas em todos os meus poemas. Ah sim, eu só uso esmalte preto!

Sobre Mim

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Sou mutante. Adoro o negro e a cor do sangue! Não consigo usar sempre o mesmo perfume e nem mesmo o mesmo sabonete. Meu coração grita por liberdade. Vivo todos os sentimentos intensamente. Eu não conheço meio termo. Sou mística e exotérica. Posso ser gótica ou angelical.Tenho a sensibilidade a flor da pele e um sexto sentido de bruxa. Gosto das coisas boas! Estou sempre de bem com a vida. Adoro rir! Pessoas inteligentes me atraem. Impaciência faz parte de mim.
Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes… tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos. Você pode até me empurrar de um penhasco que eu vou dizer: - E daí? Eu adoro voar! Não me dêem fórmulas certas, por que eu não espero acertar sempre. Não me mostrem o que esperam de mim, por que vou seguir meu coração. Não me façam ser quem não sou. Não me convidem a ser igual, por que sinceramente sou diferente. Não sei amar pela metade. Não sei viver de mentira. Não sei voar de pés no chão. Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra sempre Clarice Lispector

sábado, 11 de abril de 2009

POÉTICA BEGIN


NOSALAI E SEU POETA

Ribellis o poeta

De onde você tira inspiração para tantos versos? É inebriante ler tuas poesias: uma mistura ardente de sangue e desejo, amor e perdição com um toque sutil de melancolia. Imagino que em teu seio pulse um coração que palpita em ressonância com o cântico dos anjos e em tuas mãos repouse a força de uma espada ensanguentada.

Sê bem-vinda ao meu castelo de poesias!

Nosalai

Meu coração acelera e o sangue em minhas veias pulsa. Quando escrevo, estou em todas essas mulheres. Mutante sempre!
Teus poemas são convites à paixão
Entram como um punhal no meu coração e
Meu sangue fica cor de rosa
O meu olhar te oferece a flor!
Abro-te o poço das minhas paixões

Vem comigo?!...

Ribellis o poeta

Sim, aceito a tua Oferta, o teu convite para velejar por mares desconhecidos!

Em tuas águas desejo saciar a sede que me fere
De tuas veias hei de provar o sal das lágrimas e o veneno dos tormentos.
Aventurar-me-ei pelo labirinto de teus cabelos
Perder-me-ei na promessa de teu sorriso.
Em tuas pupilas ardentes buscarei o mapa do Inferno
E por entre teus seios caminharei em direção ao Paraíso.
Terei descanso em teu abraço
E juntarei ao meu silêncio o sussurro de teus gemidos.
Sim, enfrentarei ondas assassinas se preciso.
Cruzarei abismos, sonharei em vão e cego
Saudarei a noite que se aproxima sem aviso.
Ao fim da jornada beijarei teus lábios lânguidos
Com dedos trêmulos tocarei a tua pele nua e
Transmutado pelo vinho da volúpia
Em ti descobrirei a chama de um prazer irrestrito.
Beberás do meu sangue e te embriagarás com o vinho de meu suplício.
Minhas veias serão tuas
Meu verso será o teu cântico e minha audácia a tua proteção.
Perfume, lascívia, amor e perdição
- em meu beijo encontrarás a essência de um dia mais escuro.

Entregas-te a mim, Milady?

Nosalai

Como recusar meu cavaleiro das trevas,
Pois me excita saber que morrerás por mim na última aurora
Pois a ti ergui meus olhos suspirando e
Em minha febre noturna eu delirando
Também morro por ti em minha aurora!
Morte no coração nos olhos morte.
É do coração a dor mais forte mas
Ouso gozar contigo uma estação de flores!

Ribellis o poeta

És um mistério que desafia a compreensão, minha Doce Vampira!
Tuas mil faces são reflexos num jardim multicolorido
Pétalas que o vento acaricia e perfumes que um beija-flor revela.
Recebe minhas rimas de encanto
Meu toque de receio
E minha promessa de ousadia.
Pela distância eu estendo meus braços para te tocar
No espaço de um segundo eu alcanço teu castelo.
Com passos decididos avanço pelas salas de tua alcova
Em silêncio cruzo os portais que me separam de tua cama, teu caixão.
Minha é a força da magia, minha é a promessa delirante.
E quando meus dedos finalmente tocarem tuas vestes
Quando eu a envolver com meu olhar de mistério
Então a noite será mais escura e o pranto não se ouvirá mais.
Desnudarei teu corpo eternal, afagarei teus seios arfantes
E em teu ventre deixarei a marca de meus beijos.
Na tua pele descobrirei a textura do orvalho
Entre tuas coxas beberei o néctar dos gemidos e
Em teus lábios descobrirei as profundezas da paixão.
A noite se estenderá pela eternidade.
Te possuirei e serei possuído pelo teu encanto
E a distância não mais será.
Venha comigo, orgulhe-se dessa dor.
Nossas lágrimas e sangue
Nossos beijos e alegrias
Traga tudo.
I'll met you along the way to Paradise.

Um comentário:

maria rosa disse...

Bellas palabras que reflejan una sensibilidad exquisita de los sentimientos.
Besos....