NAS UNHAS ESMALTE PRETO

EU CANTO PORQUE O INSTANTE EXISTE E A MINHA VIDA ESTÁ COMPLETA. NÃO SOU ALEGRE E NEM SOU TRISTE: SOU POETA.

CECÍLIA MEIRELES.

Escrevo com a velocidade dos sentimentos que se embaralham no meu peito. As vezes escrevo vários poemas num dia e noutros nem mesmo um. Tem dias que estou em paz, mas noutros a angustia me arrebenta por dentro. Nada me passa despercebido! Enquanto eu ainda tiver alguns dos meus sentidos, pego caneta e papel, tenho a ânsia de escrever. Nosalai é um pseudônimo que eu criei juntando dois codinomes que minha mãe costumava me chamar. Escrevo desde os 12 anos de idade, por isso, não coloco as datas em todos os meus poemas. Ah sim, eu só uso esmalte preto!

Sobre Mim

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Sou mutante. Adoro o negro e a cor do sangue! Não consigo usar sempre o mesmo perfume e nem mesmo o mesmo sabonete. Meu coração grita por liberdade. Vivo todos os sentimentos intensamente. Eu não conheço meio termo. Sou mística e exotérica. Posso ser gótica ou angelical.Tenho a sensibilidade a flor da pele e um sexto sentido de bruxa. Gosto das coisas boas! Estou sempre de bem com a vida. Adoro rir! Pessoas inteligentes me atraem. Impaciência faz parte de mim.
Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes… tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos. Você pode até me empurrar de um penhasco que eu vou dizer: - E daí? Eu adoro voar! Não me dêem fórmulas certas, por que eu não espero acertar sempre. Não me mostrem o que esperam de mim, por que vou seguir meu coração. Não me façam ser quem não sou. Não me convidem a ser igual, por que sinceramente sou diferente. Não sei amar pela metade. Não sei viver de mentira. Não sei voar de pés no chão. Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra sempre Clarice Lispector

terça-feira, 14 de abril de 2009

POÉTICA PARTE II


Rebellis: Poesia, Milady

Nosalai: Que loucura e paixão veja o que tenho pra você

Rebellis: Mostra-me!

Nosalai: vamos lá por aqui verso por verso

Rebellis: OK! (ansioso)

Nosalai: No teu encontro o fogo da febre em meu delírio
O céu vermelho se revela
No êxtase tu me libertas a fera
Sobe me aos céus
Desce-me a terra
O teu ardor inflama todos os meus sentidos
Arde em mim essa torrente de paixão
De sentir meu corpo em tuas mãos
E o fogo dos teus olhos me fascina
Mesmo assim sou menina
E me ofereço ao delírio dos teus beijos
Morrer por ti é minha sina
Oh morte a que mistério me destinas... Gostou?

Rebellis: (wow!)
Rebellis: (ufa, estou sem fôlego!)
Rebellis: muito!!!
É raríssimo encontrar poesia nas pessoas. Tu a tens de sobra!

Nosalai: O que faremos com isso é paixão a gente tem que publicar

Nunca escreveram coisas tão belas para mim

Rebellis: rsrsrs


Rebellis: A vida era um sonho
E a lágrima um tormento
Então meus olhos vazios
Perambularam pelo espaço
Pousaram sobre as flores do silêncio
De repente
Sonhei um mundo melhor
Senti pulsar meu coração
Um verso te dei
Uma canção te ofereci
Para que soubesses que no mundo
A vida é mais bela perto de ti

Nosalai: lindo
Nosalai: lindo demais!

Rebellis: rsrsrs

Nosalai:rsrsrs... caramba eu adoro isso

Rebellis: como você faz? Os versos foram surgindo rsrsrs

Nosalai: Sempre pensei que meus escritos fossem lixo acadêmico
Sim. Eu só escrevo assim, não consigo pensar uma poesia ela sai

Rebellis: hehehhehe
Rebellis: tá na alma

Nosalai:Eu sei eu guardo em mim a paixão nos seu último nível onde se junta à loucura

Rebellis: És uma pessoa passional - gosto disso

Nosalai: No problem ......Somos?!?!?! Rsrsrs

Rebellis: Sim! Rsrs

Nosalai: Ahhhh bom

Rebellis: É impossível ser poeta e não ser passional

Nosalai: Com certeza

Rebellis: A poesia, esse vinho da alma,

Nosalai: Eu queria tanta q alguém escrevesse algo pra mim com a paixão que ponho nas minhas poesias e me fizestes muitos versos não sei qual deles aguça mais os meus sentidos sim eu te mostro hehe nas horas solitárias (nossas horas) teremos muito pano pra manga por aqui hehe eu te mostro rsrs

Rebellis: E se quiseres ser Musa, te darei os meus versos mais cálidos e envolventes

Nosalai: O Ser musa é um presente é teu coração que decide

Rebellis: Ele já decidiu!


Nosalai: Você me enlouquece com seus versos
e a minha poesia lateja. Me foge o controle da respiração
parece que a sua poesia é amante da minha

Rebellis: Sim, duas rimas, um só verso
um beijo de palavras

Rebellis: O teu calor é o Sol que desejo
A tua boca é a sepultura
Onde almejo afogar meus desejos
Uma comunhão de almas
Um toque de cetim
Num verso sem fim

Nosalai: Vestida de esmeralda em teus olhos sou musa
Com tuas rimas me lambuzas
Dou-me a ti se me revelas

Rebellis: Com meu verso te desnudo
Minhas mãos revelam a doçura e insensatez
de teu corpo de mulher
Minha rima te busca
Te deseja e te beija
Cada verso que me inspiras
É um abismo que transponho
Em direção aos céus do paraíso

Nosalai: Nasci de um outono passado onde inauguraram a tristeza
Em teus versos me sinto presa
Imploro a corrente em teu amor
Seja pra sonhar com amor ou dor
Estou sempre a tua espera

Rebellis: Te busco com minhas palavras
Te alcanço com meu toque
Miro os céus, és a estrela que me guia
Miro a multidão, és o sussurro que se perdeu ali
Anseio por te abraçar, te envolver com meu calor
Quero desnudar a pele, sugar teu sangue
Beber das tuas lágrimas

Nosalai: Sim cintilarei a tua estrada quero ser a tua amada
Quero ser a sua musa
Aperta-me usa me
Depois me deixa ser só tua
E verás que minha alma nua
Sempre ansiou pelos teus versos

Rebellis: Arrancarei teu vestido de condessa
Revelarei teu seio nu
Meus lábios em teu corpo ardente
Silêncio, meu beijo te cala
Minha boca busca a tua
Minha língua, serpente do pecado
Em tua boca busca a verdade
Minhas mãos em teus seios
Procuram teu coração
O sangue lateja em nossas veias
No ápice da aflição
Teu coração em minhas mãos pulsa.

1ª edição - por márcia
marcia regina de negreiros

2 comentários:

Márcia Regina disse...

Duas grandes almas poéticas que se encontraram e nos brindaram com poesia pura, de um lirismo inebriante. Que este casamento seja eterno e que a musa da poesia embale o sonho dos dois.

Ricardo disse...

Poesia que denuncia o verdadeiro amor, a paixão que maneja a viril inaptidão de alcançar esse mesmo tipo de ardor ou chama que queima no meu coração.
A vida é bela mas deixa sempre a gente a duvidar a sua intensão, pois por muito que se tente a humanidade só vê parte da imagem a qual acaba sempre por ser uma miragem da objectiva conclusão.

JJ&JJ